Casar ou comprar uma bicicleta?

 

Hoje, casada com 5 filhos e uma esposa linda, posso dizer que fiz uma ótima escolha, a melhor delas. Mas vou voltar lá em 2007, primeira vez que sai com uma mulher, tinha 21 anos (sim 21!), namorei-a por 4 anos e me via envelhecendo junto com ela, mas depois de muito lutar para que esse relacionamento desse certo eu vi que eu estava pronta para casar e ela não. Terminamos e eu fui andar de bicicleta, rsrs, fui curtir minha solteirice da melhor forma possível, conheci algumas garotas que posso dizer que são loucas, outras nem tanto e outras que não deveria ter conhecido.

Nessa época eu me sentia mal, sozinha e precisando que algo bom acontecesse na minha vida e eu estava a procura disso, mas como dizem, você só encontra se parar de procurar.

Estar solteira não é a pior coisa do mundo, eu me diverti bastante, bebi bastante, mas o vazio que vinha no fim da madrugada era de cortar os pulsos. Nesse período eu aprendi que não nasci para ser sozinha, por mais que eu afirmasse que tinha nascido, e sofri por não ter alguém comigo.

Conheci minha esposa pela internet, no Facebook, começamos a conversar, saímos e tudo foi lindo e maravilhoso. Mentira! Não foi nada lindo e romântico, rsrsrs.

Que eu conheci ela pela internet, no Facebook, é verdade, mas nosso primeiro encontro foi um desastre e até hoje ela me zoa falando que me achou louca. Nesse dia fomos ao cinema, mas não ficamos e não nos beijamos. Por vários motivos, que não vem ao caso, nós paramos de conversar. Eu subi na bicicleta e continuei minha vidinha de solteira.

Conheci uma garota, fiquei com ela e namorei por uns 8 meses, aproximadamente, nesse caso eu não estava preparada para casar, mas ela estava. Durante esses 8 meses eu me esforcei, tentei e me dediquei, mas foi em vão, não consegui continuar com o namoro e terminei com ela (fui uma cachorra nesse caso) porque ainda pensava na menina do cinema. Sim, passaram-se 8 meses e eu ainda estava gamada em uma garota que eu vi uma vez só na vida.

O que eu fiz?

Fui atrás dela.

Saímos e começamos a namorar e depois de quase um ano, casamos.

E por que eu estou contando essa história?

Seria uma linda história se eu parasse por aqui e nunca contasse os detalhes.

Construir um relacionamento forte e saudável não depende somente de uma pessoa, sempre vai depender das duas pessoas envolvidas na história. SEMPRE.

Na primeira história que contei eu quis construir um futuro, eu lutei por isso longos anos, mas enquanto eu construía a estrada rumo a um futuro, silenciosamente alguém desfazia tudo o que eu construía. Na segunda história, eu tomei a posição de destruidora e não deixei o caminho ser feito e por sorte achei alguém que estava disposta a construir comigo.

Relacionamentos são complexos, são confusos e muitas vezes não queremos mergulhar neles com medo de serem rasos demais. O que vai solucionar esse medo é saber do comprometimento da sua companheira. Se você passou pela primeira etapa, achou alguém realmente comprometida tanto quanto você, case-se. Mas lembre-se que o casamento não é o fim da estrada, não é o pote de ouro no fim do arco-íris, a construção nunca acaba.

Hoje, 05/03/16, faz um ano e quase 4 meses que estou casada, e me lembro de quando começamos a morar juntas, foi tudo muito fácil, muito simples, parecia coisa de filme romântico. Mentira, rsrs, não foi assim não. Foi difícil, foi intenso e tivemos vontade de desistir. Por mais intimidade que você tenha com sua namorada, por mais tempo que você passe com ela, morar junto é um nível hardcore do relacionamento. Brigou e não quer ver a cara da pessoa? Vai ter que ver, não tem para onde fugir, você não tem mais sua casa para voltar, ali é sua casa, é ali que você vai dormir e acordar. Tivemos muitas DR’s, muitas mesmo, mas passou e hoje dificilmente brigamos ( a não ser por comida, rsrs).

Por isso que digo, um relacionamento depende de duas pessoas para dar certo e de apenas uma para dar errado. Você casa e acha que ali é o seu Happy End, aí que você se engana, pois a felicidade não pode ser o objetivo final da relação, a felicidade tem que ser o caminho, tem que ser construída todo dia e reforçada toda noite antes de dormir com um “eu te amo” sincero.

Mas se você decidir que é a hora de andar de bicicleta por mais alguns quilômetros, não se esqueça que você está em um relacionamento, mesmo estando solteira, você tem um compromisso com você mesma, enquanto for solteira tire um tempo para se conhecer, para saber o que você quer de verdade. Estar solteira é a melhor chance que terá de se conhecer profundamente, de saber dos seus limites e de se amar.

Por fim, casar ou andar de bicicleta, é uma escolha sua, é um caminho seu e ninguém pode decidir por você, mas em qualquer uma das escolhas você tem que ser feliz, sentir-se completa e em paz consigo mesmo.

Alice

 

 
 
 
*Não se esqueça de se cadastrar para sempre receber as novidades do blog e receber de primeira mão os lançamentos dos meus livros.

3 comentários sobre “Casar ou comprar uma bicicleta?

  1. Gente é coisa engraçada,ne? A gente esbarra,afeta e é afetado. Ao longo da vida temos vários esbarrões, mas tem sempre um bom encontro que perdura. Seu relato encheu-me de alegria, que tudo que cativastes perdure, sempre belo. E quando não o for, que encontre caminhos de paz.
    Abraços

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.