Escrever em parceria, por quê?

livro lésbico contos lésbicos contos lesbicos livros lesbicos

Hoje quero conversar com vocês sobre parceria.
Escrever é um ato solitário e muito introspectivo. Muitas vezes, nos isolamos para conseguir dar conta da história que queremos contar. Eu, felizmente ou infelizmente, consigo escrever em qualquer lugar, independente do ambiente. Digo que é uma benção e uma maldição conseguir isso, pois em qualquer lugar que você está, você tem vontade de ficar escrevendo ao invés de interagir. Mas não vim falar dos meus processos criativos, vim falar da minha parceria com a Rose SaintClair. Escrevemos Amor em Jogo juntas e eu amei a experiência.

 

Eu sempre quis tentar escrever em dupla e sempre achei a ideia extraordinária, pois eu iria me abrir para ideias externas, deixar alguém dar pitaco nos parágrafos, concordando ou não com os comentários.
Apesar de ter 7 romances publicados sem coautoria, sempre sou insegura com o que escrevo. Além dos 7 romances lésbicos, tenho um e-book de contos curtos (Quem conta um conto…), uma crônica (Crônicas de um natal qualquer) e um mini romance (Amor de carnaval). Até hoje poucas histórias que escrevi me deixaram muito realizadas com o resultado final. Cada conto ou romance tem um espaço especial dentro de mim, isso não posso deixar de falar, mas nem todos me deixam orgulhosas.

 

Ser uma escritora insegura e me abrir para escrever em parceria me deu a chance de entender que todo processo criativo é inseguro. A amizade que criei com a Rose foi muito produtiva, eu aprendi a ser mais solta em algumas falas e gestos que eu me sentia travada.

 

O conto Amor em Jogo se transformou em um belo romance cômico erótico, pois o estilo jocoso e piadista da Rose deu um novo olhar para a personagem Paloma Aguerri. E em contrapartida deixamos Bárbara Santos mais séria e tímida.

 

Ao contrário de muitos romances escritos em parceria, Amor em Jogo é escrito em terceira pessoa e os nossos estilos foram se misturando aos poucos. Eu já tinha o conto pronto quando mostrei para a Rose. Ela me disse, tem como deixar isso um romance muito maior e cheio de idas e vindas.

 

Mas como tudo isso começou?
Em uma conversa despretensiosa sobre o livro M e A Descoberta do perdão e A descoberta da verdade. Ela se mostrou fã incondicional de M e depois de horas de conversa, mostrei o conto Amor em Jogo para ela e resolvemos encarar escrever em dupla.

 

Por que aceitar essa parceria?
Já disse que aprendi muito escrevendo com outra pessoa, mas o mais interessante de todo o processo criativo que tivemos foi deixar a armadura de lado. Quando se é escritor, temos apego pelo que escrevemos, mesmo achando que podia ser melhor ou tendo certeza que aquilo está uma porcaria. Não queremos que ninguém mexa no nosso texto. Não queremos ninguém cuidando do nosso “filho”. Abrir a porta para uma parceria é abrir a alma para alguém morar dentro de você por um tempo. E abrir essa porta pode ser ruim para o ego, mas é uma evolução pessoal inenarrável.

 

E por fim, apresentou-lhes, nosso “filho”:

Sinopse:

O acirrado campeonato sueco de futebol feminino chegava no seu grande desfecho com um jogo entre FC Rosengård e Bollklubben Häcken. Paloma foi considerada a melhor atacante do campeonato e Bárbara apelidada de Muralha por ter feito uma campanha excepcional como goleira e não ter levado nenhum gol, até aquela final histórica.

Com a derrota do Bollklubben Häcken, Bárbara terá que se adaptar ao novo time, às novas colegas de trabalho e a reaproximação de sua ex-namorada, Mikaela, gerente de marketing do FC Rosengård.

Paloma se sente estranha com a repentina aproximação com a goleira e deixa seu namoro com Gina Cabrini, uma modelo internacional, jogado para escanteio. A modelo não gosta de ser deixada de lado e fará de tudo para as duas jogadoras não ficarem juntas.

Intrigas e mentiras são o ponto forte para Gina manter Paloma ao seu lado. Mas até quando essas atitudes serão mais fortes do que o amor?

O e-book está disponível na Amazon e também para as assinantes do Kindle Unlimited.

 

 

Conheça mais sobre a Rose SaintClair, minha parça:
wattpad.com/user/RoseSaintClair

 

E só para não passar em branco, deixarei um meme. Muitas vezes estávamos sem ideias, sem vontade, atoladas de coisas pessoais para fazer, mas mesmo assim sempre conseguíamos trazer algo novo para a história. E se não surgia nenhuma ideia, insistíamos. Os memes e as piadas nos animavam, então esse é o meme que, para mim, representa nossa jornada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um abraço,
Alice Reis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.